Como superar a distração e manter o foco

Resumo:

  • A distração leva ao aumento da ansiedade e a até 96% de redução na produtividade do trabalho;
  • O autor Nir Eyal falou sobre distrações e eficiência no programa “You Turn Podcast”;
  • Veja abaixo 4 dicas para  lidar com a distração.

Seu telefone está vibrando constantemente, a tela do computador continua mostrando novas notificações da caixa de e-mail e o colega de trabalho parou mais uma vez para perguntar sobre o andamento do projeto.

Distrações estão em toda parte.

Se você é como eu, provavelmente sentou para um brunch com amigos neste fim de semana e notou que a cabeça de todos estava enterrada em seus celulares. E eu sou a primeira a admitir que também faço isso. Há momentos em que tento resgatar uma conversa e simplesmente não consigo lembrar o que foi dito. Eu costumava achar que era memória fraca, mas a realidade é que eu estava apenas distraída. Você também luta para estar presente aqui e agora?

Toda essa distração leva ao aumento da ansiedade e a até 96% de redução na produtividade profissional. Não é de admirar que lutemos para ter criatividade. E não para por aí. A antecipação das próprias distrações leva a uma ansiedade ainda maior. O simples fato de saber que um colega de trabalho pode chegar à sua mesa enquanto você pensa profundamente cria uma sensação crônica e persistente de ansiedade e distração.

As distrações estão, literalmente, matando pessoas, mas com atenção rigorosa é possível eliminá-las. Um estudo da Universidade da Califórnia, em São Francisco, observou enfermeiros distribuindo medicamentos e descobriu que eles eram interrompidos, em média, 10 vezes por ciclo. Em um esforço para reduzir os erros de medicação, foi implementada uma solução simples e barata: enfermeiros nas rodadas de medicação usam coletes de plástico que indicam que estão distribuindo medicamentos e não podem ser interrompidos. Essa simples iniciativa reduziu os erros de medicação em 88%.

Como autora que escreve sobre como fazer mudanças na vida, adoro procurar outros autores e líderes de pensamento para aprender com seus cérebros. Isso me levou a convidar Nir Eyal, autor de “Hooked: How To Form Habit Building Habits” (Como formar hábitos construindo hábitos, em tradução livre) para participar do meu podcast (“You Turn Podcast”) e compartilhar suas pesquisas e aprendizados de seu livro recém-publicado “Indistractable: How To Control Your Attention and Choose Your Life” (Como controlar sua atenção e escolher o caminho de sua vida, em tradução livre).

Suas ideias foram tão poderosas e instigantes que eu não podia deixá-las morrer no podcast. Veja, na galeria de fotos a seguir, 4 etapas que ele compartilhou comigo sobre como se tornar focado, distante das distrações:

Domine seus gatilhos internos

“A maioria das distrações começa internamento e as usamos para escapar do desconforto”, diz Nir Eyal. É hora de parar de culpar a tecnologia.

Sim, existem gatilhos externos que levam à distração, mas Eyal indicou que as causas mais comuns são, na verdade, os gatilhos internos, as sensações desconfortáveis ​​das quais procuramos escapar. Esses gatilhos levam a ações perturbadoras que o colocam em um estado psicológico alternado.

Você sempre será capaz de encontrar uma distração para lidar com a emoção interna que deseja evitar. Para eliminar essa necessidade psicológica de fuga, você deve primeiro reconhecer quais gatilhos o levam a procurar pela distração.

Domine seus gatilhos internos para que eles o guiem em direção à atração: as tarefas que você deseja executar e as que você está evitando. Tudo isso começa com o reconhecimento. Você não pode mudar o que não percebe.

Comece a prestar atenção em suas distrações e quais emoções as rondam. Quando você está sozinho, recorre ao Facebook ou Instagram para se conectar? Quando está entediado, para para ler as notícias? Quando está consciente de si mesmo em público, pega o telefone e verifica o e-mail para parecer “ocupado” ou pede uma bebida por estar preocupado?

Vivemos em um mundo onde as pessoas estão subconscientemente desesperadas para escapar de si mesmas.

Distrações podem até ser percebidas como ações positivas, mas, na verdade, também podem atuar como uma máscara. Seja honesto consigo mesmo: você usa a meditação como uma maneira de se esconder das decisões? Considera a academia uma desculpa para não fazer o trabalho que sabe que precisa fazer?

Quando você reconhece quais são seus gatilhos internos, pode se permitir sentir o que provavelmente está evitando. Na próxima vez que se sentir desconfortável e pegar o telefone, faça uma pausa e sinta o desconforto. Em vez de ver isso como negativo, tenha orgulho por se permitir superar e reconhecer o momento como uma oportunidade de crescimento e não de fraqueza.

O sucesso como espécie humana significa sempre querer mais, e a única maneira de chegar lá é forçar seus limites. E isso inclui seus limites emocionais

Fonte: Forbes Brasil

Sobre Ramires, F. A. Borja

Proficiência em Regras de Negócios e Tecnologia da Informação
Esse post foi publicado em Comportamento Humano e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s