PEOPLE ANALYTICS – a nova força do RH

O que é e por que o setor deve focar tanto em dados quanto em pessoas

Os avanços tecnológicos têm transformado o ambiente de trabalho ao redor do mundo e, como era esperado, o RH se tornou uma área que depende cada vez mais de dados, números, relatórios e estratégias.

Esse setor é o que mais contém informações de todos os funcionários de uma empresa e isso não é nenhuma surpresa. Mas a questão é se esses dados têm sido usados efetivamente para entender, melhorar e otimizar o lado das pessoas nas empresas,ou seja, a condição humana dentro das organizações.  É aqui que entra o conceito de People Analytics.

De acordo com a Forbes People Analytics é a área que determina quais são as melhores estratégias e ações a tomar para garantir uma melhor performance dos funcionários”. Em outras palavras, é entender que as pessoas são fundamentais para a companhia e que seus objetivos, motivações e engajamento acabam influenciando na performance da empresa como um todo.

Na realidade, o People Analytics já existe há um bom tempo. Quando o profissional de RH entrava em contato para saber com os funcionários estavam na empresa, se precisavam de algo ou formulava qualquer pesquisa interna de satisfação, o setor já estava fazendo uso do conceito de People Analytics, provavelmente chamando de HR Analytics. Claro que, antigamente, havia outras técnicas e métodos para organizar esse universo gigantesco de dados, mas os softwares disponíveis eram complexos, caros e demandavam equipes especializadas de TI para definir e estabelecer as integrações dos dados com outros programas já existentes da empresa.

Por que o People Analytics é a nova realidade para os profissionais de RH?

  • Os desenvolvimentos crescentes em tecnologia que geram dados e mais dados e requerem as análises desse amplo universo de dados. O que antes era mais visto no setor de marketing e vendas, agora tem sido encontrado em diferentes departamentos.
  • Os departamentos de RH estão sendo cada vez mais questionados a justificar suas decisões, que devem ser baseadas em resultados mensuráveis. Consequentemente, isso faz com que os dados sejam fundamentais para a elaboração dessas decisões, ao invés de utilizar intuições, julgamentos e outros processos subjetivos.
  • O Recursos Humanos é o departamento que possui a maior quantidade de informação dos funcionários – incluindo dados demográficos, histórico de performance, compensação, cursos, projetos, treinamentos, reuniões e várias outras referências. O problema é que todas essas informações não têm sido usadas estrategicamente pelas empresas, resultando num desperdício de conhecimento, que poderia ser fundamental para otimizar o desempenho máximo da estrutura de trabalho.

Por que usar People Analytics?

Há alguns problemas que podem ser resolvidos com os dados adquiridos pelo o People Analytics, como por exemplo: baixa produtividade, dificuldade em reter novos talentos, turnover muito alto ou perda de clientes. São vários fatores que podem ser compreendidos e resolvidos com informações dos próprios colaboradores de um negócio.

  • Recrutamento & Seleção

Com a evolução do departamento de Recursos Humanos, a lógica é que as tecnologias, procedimentos e técnicas usadas por estes profissionais se adaptem às necessidades exigidas pelo novo mundo de trabalho.

No processo de recrutamento, os métodos tradicionais serão deixados para trás. Ao possuir informações sobre seus funcionários atuais, as empresas conseguem definir melhor o que procuram num candidato, o que as auxilia na metodologia de qualificação de currículos.

Além disso, com o uso de algoritmos, é possível reduzir o tempo do processo seletivo em relação aos sistemas manuais, e ainda poder ajudar numa melhoria de qualidade da contratação, atrair candidatos que se encaixem melhor na cultura da empresa o que é fundamental para garantir um menor turnover. O cruzamento de dados pré e pós-contratação auxilia os recrutadores a serem mais eficientes na definição de novas admissões.

  • Performance individual

O profissional de RH, ao analisar dados sobre a performance, pode identificar quais são os talentos dentro de sua empresa que desenvolvem desempenhos acima da média. Com isso, o RH pode ter o controle dos funcionários que melhor executam suas atividades profissionais.

Além disso, ao detectar as melhores avaliações no corpo de funcionários,
pode-se identificar mais facilmente quem apresenta rendimentos não satisfatórios dentro da empresa. Nesse momento, o RH entra em ação para elaborar estratégias de incentivo
e motivação para ajudar o colaborador a melhorar sua performance de trabalho.

  • Turnover

A taxa de turnover é importante para o orçamento da empresa, já que sai muito mais caro contratar novas pessoas do que manter as atuais. De acordo com a Harvard Business Review,os três motivos principais que levam um funcionário a deixar o emprego são: salário, plano de carreira e ambiente de trabalho

Com um levantamento aprofundado de dados, o RH tem a chance de identificar funcionários que estão em risco – baseados em comportamento, performance, feedbacks de colegas – e  procurar soluções efetivas para mantê-los em sua companhia tais como aumento salarial, promoção de cargo, novos projetos, benefícios e incentivos.

  • People Analytics deveria ser responsabilidade só do RH?

No momento em que as análises de dados acaba se tornando algo que influencia futuras ações dentro da empresa, o People Analytics se transforma em uma ferramenta que não deveria se manter apenas no RH, e sim, uma métrica de decisões estratégicas da empresa em geral. Por exemplo, se o turnover de uma área estiver muito alto e, com os dados obtidos, o RH conseguir entender o porquê disso, o setor deve sincronizar com os diretores dessa  área métodos eficientes de reestruturação e compensação para que a vaga se torne mais atrativa.

Claramente, ainda há muito a aprender e se aprofundar em People Analytics. Essa tecnologia tem muito potencial em crescer, evoluir e mudar a área de Recursos Humanos. A utilização de big data para fazer decisões em relação a pessoas e a tomada de decisão mais ‘humanizada’ é a nova realidade de várias empresas. E é isso o que as pessoas têm procurado mais, por empresas que entendem que os colaboradores são peças-chave de seu negócio.

E são justamente essas “novas” empresas que têm sido mais procuradas no mercado de trabalho, tanto por futuros funcionários quanto por clientes, todos interessados em organizações que cuidam do bem-estar pessoal e tratam seus colaboradores como peças-chave do negócio. Afinal, profissionais satisfeitos e motivados resultam em empresas bem-sucedidas.

Fonte: JobConvo

Sobre Ramires, F. A. Borja

Proficiência em Regras de Negócios e Tecnologia da Informação
Esse post foi publicado em Gestão de Pessoas e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s