É hora de agir como uma startup

Ei você, lojista, acabou de reabrir a sua loja? Como estão suas vendas? Para a maioria dos comerciantes, a reabertura infelizmente tem registrado vendas muito aquém do desejado.  Os consumidores não formaram as filas nos estabelecimentos (ao menos da forma convencional) e o resultado tem sido vendas entre 40% até 70% abaixo do que registravam antes do início da pandemia. E como manter o seu negócio considerando os custos para manter a roda girando? Que tal se inspirar no modelo de negócios das startups para dar uma guinada ou turbinada no seu negócio?

Segundo o Wikipedia, uma startup, termo da língua inglesa sem tradução oficial para a língua portuguesa, é uma “empresa emergente” que tem como objetivo principal desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio, preferencialmente escalável, disruptivo e repetível. Uma startup é uma “empresa” recém-criada ainda em fase de desenvolvimento que é normalmente de base tecnológica, mas pode aparecer em vários setores mas qualquer empresa que nasce em qualquer segmento, seja tradicional ou inovador é uma startup (uma potencial “empresa” que nasce).

Bom, sendo assim, vamos adaptar estas características dentro do seu negócio:

1 – Uma startup de sucesso tem de ser inovadora: faça esta pergunta para você mesmo ou para seus colaboradores. Não se trata de lançar um produto ou serviço absolutamente novo no mercado, mas talvez de transformar o formato de comercialização, de distribuição, de apresentação ou mesmo da comunicação do seu produto ou serviço. Se diferenciar da concorrência positivamente pode ser o fator decisivo para um cliente optar pela sua empresa e aumentar as vendas;

2 – Ter um produto ou serviço escalável: boas ideias podem se perder quando o mercado consumidor é pequeno ou muito restrito. Imagine uma forma do seu produto e serviço alcançar uma quantidade sempre maior de consumidores. Varejo é sobretudo escala, onde as margens são geralmente baixas e o lucro é obtido pelo volume de vendas;

3 – Trabalham em rápida velocidade: você provavelmente deve ter ouvido falar nos últimos meses de empresas que implementaram projetos com projeção de duração de 1 ano finalizados em apenas algumas poucas semanas ou dias durante a pandemia do coronavírus. A necessidade de tomada de decisões rápidas e ações idem num momento crítico do mercado, foi essencial para que muitas empresas sobrevivessem, criando produtos e serviços inimagináveis num prazo de tempo curto. Nas startups, as soluções e/ou processos são desenvolvidos em ciclos curtos de experimentação via MVPs (Mínimo Produto Viável), em que é possível planejar, desenvolver, checar e corrigir o que for necessário rapidamente;

4 – Investem no planejamento: startups são muito conhecidas por montarem planos de negócios elaborados para atraírem investidores dispostos a colocar dinheiro para a expansão ou o crescimento do negócio. Planejar a execução e o crescimento é portanto fundamental para ter os seus objetivos claros. E muitas delas utilizam a metodologia agile para implementarem seus projetos. Os métodos ágeis compõem um conjunto de ferramentas e práticas que buscam promover entregas rápidas, eficientes e de qualidade, através de uma abordagem de negócios baseada no equilíbrio entre as necessidades dos clientes e os objetivos da empresa e priorizam explicitamente o retorno ao investimento (ROI);

5 – Burocracia reduzida: se a sua empresa é grande com muitos níveis hierárquicos é um grande momento de repensar esta estrutura. A burocracia dificulta a velocidade das ações. Nas startups os processos são reduzidos, fazendo com que alterações de percurso do produto ou serviço no mercado ocorram rapidamente com muita agilidade o que torna a empresa dinâmica e resiliente;

6 – Possuem uma identidade original: não basta ter uma empresa, um produto ou um serviço. Você tem de ser “a empresa”, “o produto” ou “o serviço” diante do mercado. Este posicionamento tende a atrair mais clientes, investidores, fornecedores e também exposição na mídia. Seu negócio ficará em evidência e isto ajuda a alavancar sua empresa no mercado;

7 – Uma equipe com a cara da empresa: engaje sua equipe para que sejam comprometidos com o propósito da empresa e com os objetivos de crescimento. É importante que os colaboradores entendam que os esforços valerão a pena e que fazem parte de um time. Ter perspectivas de carreira e crescimento pode fazer toda a diferença na retenção e na captação de talentos.

Por último, entendam que o mundo mudou muito nos últimos 100 dias e portanto não faz sentido sua empresa não mudar. Não se trata de mudar tudo o que sua empresa já fez ou criou no passado, mas de se adaptar aos novos hábitos de consumo ou se for o caso, ficar atento às novas oportunidades que estão surgindo. Se inspirar nos movimentos das startups pode fazer toda a diferença para a sobrevivência e o crescimento do seu negócio!

Fonte: Mercado & Consumo

Sobre Ramires, F. A. Borja

Proficiência em Regras de Negócios e Tecnologia da Informação
Esse post foi publicado em Gestão de Negócios e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s